Politicos-homens de bem: COMO AJUDAR O PAÍS

domingo, setembro 11, 2005

 

COMO AJUDAR O PAÍS

A solução é bem simples! E curiosamente passa por aqueles que mais deveriam dar o exemplo, mas que são bem mais dificilmente convencidos.
Cada membro do governo que auferisse uma pensão vitalícia para a qual não tenham descontado ( o que é declaradamente imoral e contra o espirito da lei da reforma, mesmo pensando que eles tenham feito uma lei à medida do pé...), deixavam de a receber, ficando em suspenso a fórmula a aplicar para a devolução de todo o dinheiro recebido até então.
Como, declaradamente também, os membros do governo não estão ali pelo dinheiro (até porque sempre disseram que na privada ganhavam muito mais), reduzia-se o ordenado de todos os membros do governo e assembleia da república para metade; realmente, não pagando eles as despesas que qualquer cidadão teria de pagar; por exemplo: automóvel, telemóvel, refeições, viagens, etc, acho que cerca de 1.000 e tal contos por mês (na moeda antiga) é muito bom para um país onde o ordenado médio nem a 1/5 disso chega.
Passariam os membros do governo a terem direito a subsídio de desemprego e não receberiam o chorudo subsídio de reinserção. Aqueles que tivessem recebido o referido subsídio de reinserção e que tenham voltado aos seus antigos postos de trabalho(?), bem como aquele que o tenham recebido e tenham sido colocados em lugares públicos seriam obrigados a devolverem o subsídio com multa e juros de mora.
Haveria de se criar uma comissão de avaliação dos membros do governo e estabelecer objectivos baseados nas promessas feitas durante as respectivas campanhas eleitorais, para além de uma avaliação objectiva do rumo que as finanças (e não só) deste país estava a tomar, responsabilizando-se os seus intervenientes, sendo justa causa para despedimento todo o mau desempenho, mentira e outros comportamentos anãlogos (e tão usuais)
Assim estariam os ministros e outros a trabalhar efectivamente numa recuperação da economia portuguesa, sem demagogias e sem contar apenas com os outros. O exemplo é dado por pessoas de bem.

Com este método, pouparíamos certamente milhões (digo mesmo muitos milhões) de € por ano e filtrava-se a corja que pulula na pseudo-politica desta republica das bananas.

Comments:
E Quem lhes reduziria o ordenado para metade? Quem lhes fará frente? Quem fará a Queda da Bastilha? O povo. Que pode ser de duas maneiras...mas que temos que aguentar com as consequências: uma é ninguém que ganhe ou tenha um rendimento digamos abaixo de 100 mil euros por ano pague um IRS, um IRC ou um IVA, neste caso, que deixe de ser cobrado todo e qualquer IVA, ATÈ o Governo demonstrar que todos os que têm rendimentos acima deste valor têm os seus impostos pagos, principalmente todos os que fazem parte do Governo e da Assembleia Geral, do aparelho da justiça, os clubes de futebol, etc.
Outra maneira, e mais fácil de fazer, mas dificil de coordenar era uma abstenção de 100 por cento às urnas das autárticas e das presidenciais. Nenhum político é homem de bem. Aliás chamar político a alguem, é como chamar "mentiroso, aproveitador, corrupto, ladrão, interesseiro e principalmente hipócrita e pessoa sem carácter nem honra"....pelo menos em Portugal...e Brasil...África...países da Ásia..América do Norte...bom, nem UK se safa...Raispartam os políticos TODOS!!!!!!
 
Não, não...
Seria fácil reduzir-lhes o ordenado. Batava para isso de confrontar, por exemplo, o primeiro ministro com ests proposta em público; na TV. Mas não se faria como habitual: submetermos as perguntas ou temas aos inquiridos antes da entrevista; se assim fosse obrigatório, também requereríamos as respostas que vão dar...
Gostava de ver as razões que o primeiro miistro daria para ter de ganhar mais de 1000 contos/mês
 
i thought your blog was cool and i think you may like this cool Website. now just Click Here
 
É minha convicção, que esta 3ª República está moribunda. Estes políticos não tem a mais pequena hipótese, de se redimirem perante o eleitorado. Os casos de favorecimento da classe política e dirigente, já atingiu a "vulgaridade" já ninguém se admira, seja do que fôr! Houve um árbitro de futebol que um dia disse"... depois de vêr no circo um porco a andar de bicicleta " já acredito em tudo... Só que estes andam de mercedes e quejandos com combustível pago por nós... e se forem apanhados pela GNR não pagam multa, por excessos nehuns... Há dias de tristeza neste país, quando não há nenhuma aldrabice nova, para contar aos cidadãos. Vai ser preciso baralhar e dar de novo... , com regras diferentes...
Um abraço, Ricky
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?