Politicos-homens de bem: Agosto 2005

sábado, agosto 20, 2005

 

OS EMPREGOS NO GOVERNO

Quem ainda não sabe que o nosso ministro das finanças mora em Lisboa há uns pares de anos, mas o seu emprego continua a pagar-lhe como se morasse no Porto? Agora chamem-lhe burro!! E não é tãopouco assim. Se estivesse em França, teria de devolver o dinheirinho e teria ido para a rua (aconteceu ao colega dele em França), mas aqui...
Querem apostar que a CMVM (onde tinha um emprego dantes - e que o manterá, a ver vamos se não estu certo) também lhe pagava deslocações por morar em Lisboa. Onde estará a morada na carta de condução? (se fosse comigo, se calhar, seria multado)

 

QUE FALTA FAÇO?...

O Sr Sócrates não deve ter entendido a pergunta que um jornalista lhe fez, a propósito da sua ausência durante os acontecimentos trágicos em Portugal. É politiquice!!!, terá dito o Socrates. Ele também, quando lhe morre alguém de família, não vai a correr para o velório e enterro se estiver de férias!!! Tem lá agluém da família que o substitui e... bem! O que iria lá fazer? Mudaria alguma coisa?
Penso que este socialista de trazer por casa ainda não percebeu que é o primeiro ministro desta república das bananas. Ele pensa é que tem um bom emprego!!!Entrou às 9, às 18 já saiu; agora encontra-se de férias e portanto não tem de vir... enfim, nós os Portugueses percebemos bem este tipo de atitude. Trabalho é trabalho e cognac é cognac.
Mais uma vez refiro-me à estupidez do primeiro ministro de Espanha, que regressou de férias (interrompendo-as) só porque morreram 17 militares no Afganistão!!! O que resolveu ele? A imagem de um indivíduo que se preocupa com o país é antiquada. É "old fashion", é politiquice. Ponha os olhos em Sócrates e verá que não demora muito em andar o gamanço e coisas nesse sentido...

terça-feira, agosto 16, 2005

 

PEQUENAS DIFERENÇAS (a nosso favor...)

O primeiro ministro espanhol foi de férias para as Canãrias (pffff). O nosso primeiro ministro foi de férias para.... o QUÉNIA!!!!

O primeiro ministro espanhol, assim que soube que houve um acidente (ou talvez não...) com um helicóptero e morreram 17 espanhóis no Afgenistão, interrompeu as férias e regressou a Madrid (para quê? não ía resolver nada..., é mesmo estúpido). O nosso primeiro ministro, sabendo da calamidade (perdão, calamidade, não, contratempozinho) que assola o nosso país onde morrem bombeiros, civis e ardem casas, pergunta, se é de voltar, ao que o preto responde: "não pá, deixa-te estar que não fazes cá falta nenhuma... não ías apagar os fogos..."

Acabámos de dar mais uma lição de "SABER ESTAR" e já sabemos com que contar.

 

VIVA O GOVERNO!!!

APESAR de ter apenas 50 anos de idade e de gozar de plena saúde, o
socialista Vasco Franco, número dois do PS na Câmara de Lisboa durante as
presidências de Jorge Sampaio e de João Soares, está já reformado.


A pensão mensal que lhe foi atribuída ascende a 3.035 euros (608 contos),
um valor bastante acima do seu vencimento como vereador. A generosidade
estatal decorre da categoria com que foi aposentado - técnico superior de



classe, segundo o «Diário da República» - apesar de as suas habilitações
literárias se ficarem pelo antigo Curso Geral do Comércio, equivalente ao
actual 9º ano de escolaridade. A contagem do tempo de serviço de Vasco
Franco é outro privilégio raro, num país que pondera elevar a idade de
reforma para os 68 anos, para evitar a ruptura da Segurança Social. O
dirigente socialista entrou para os quadros do Ministério da
Administração Interna em 1972, e dos 30 anos passados só ali cumpriu
sete de dedicação exclusiva; três foram para o serviço militar e os
restantes 20 na vereação da Câmara de Lisboa, doze dos quais a tempo
inteiro.Vasco Franco diz que é tudo legal e que a lei o autoriza a contar
a dobrar 10 dos 12 anos como vereador a tempo inteiro. Triplicar o
salário. Já depois de ter entregue o pedido de reforma, Vasco Franco foi
convidado para administrador da Sanest, com um ordenado líquido de 4000
euros mensais (800 contos). Trata-se de uma sociedade de capitais
públicos, comparticipada pelas Câmaras da Amadora, Cascais, Oeiras e
Sintra e pela empresa Águas de Portugal, que gere o sistema de
Saneamento da Costa do Estoril. O convite partiu do reeleito presidente
da Câmara da Amadora, Joaquim Raposo, cuja mulher é secretária de Vasco
Franco na Câmara de Lisboa. O contrato, iniciado em Abril, vigora por um
período de 18 meses. A acumulação de vencimentos foi autorizada pelo
Governo mas, nos termos do acordo, o salário de administrador é reduzido
em 50% - para 2000 euros - a partir de Julho, mês em que se inicia a
reforma, disse ao EXPRESSO Vasco Franco. Não se ficam, no entanto, por
aqui os contributos da fazenda pública para o bolo salarial do dirigente
socialista reformado.


A somar aos mais de 5000 euros da reforma e do lugar de administrador,
Vasco Franco recebe ainda mais 900 euros de outra reforma, por ter sido
ferido em combate em Moçambique já depois do 25 de Abril, e cerca de 250
euros em senhas de presença pela actuação como vereador sem pelouro.
Contas feitas, o novo reformado triplicou o salário que auferia no
activo, ganhando agora mais de 1200 contos limpos. Além de carro,
motorista, secretária, assessores e telemóvel. Herança guterrista.





Na mesma edição em que dá conta da aposentação de Vasco Franco, o «Diário
da República» anuncia a passagem à reforma de uma técnica especialista da
Secretaria-Geral do Ministério dos Negócios Estrangeiros - Nina Garcia
Passos Campos Costa, de seu nome - com um vencimento de 9616 euros, que
representam qualquer coisa como 1928 contos por mês! Seria mais uma
gralha da folha oficial, ultimamente tão pródiga em erros? O Ministério
diz que não! A benfeitoria é uma herança política de António Guterres,
que em Novembro de 1999 alterou a lei para permitir situações destas. «O
montante tem a ver com o ordenado que a senhora tinha e está devidamente
tabelado em estruturas indiciárias conjuntamente elaboradas pelo
Ministério dos Negócios Estrangeiros e pelo Ministério das Finanças»,
disse ao EXPRESSO fonte do gabinete de Martins da Cruz. Fica assim
confirmada a derrogação por António Guterres da decisão imposta por Cavaco
Silva de que nenhum funcionário público poderia ganhar mais do que o
primeiro-ministro.

domingo, agosto 07, 2005

 

O campeão não deve saber o que fazer da vidinha...
O país está a arder, os bombeiros não chegam a todo o lado (vimos isso nas reportagens da comunicação social), mas são suficientes. Os meios que os bombeiros possuem não chegam; mas são suficientes... Não existe uma politica de incêndios, não existem acessos para se combater os fogos nas matas, mas nunca os bombeiros definiram acessos para que se possa combater eficazmente os incêndios; mas o trabalho deste "boy" não é só bombeiros.

A policia está revoltada com as medidas do governo... (pudera, ameaçadas de fazer rondas com 60 e tal anos...). Vá lá que afinal, a prtir de uma certa idade passam a fazer trabalhos alternativos... claro que isso não vai resultar em nada! Em vez de admitir que errou na politica, fugiu para a frente. Mas também não é só a Policia que é o trabalho deste "muzungo".

O S.E.F. faz um trabalho que... nem sei... Pensamos como combater o comércio chinês (só o Alberto João é que não os quer, "nosotros"estamos (se calhar) de braços abertos para os receber. De tal modo que proliferam os chineses clandestinos e ninguém os apanha. Eles trabalham nas lojas que abrem às dezenas, nem português falam; será que têm visto? e podem trabalhar?
Também, ainda bem que o S.E.F. não faz um bom trabalho senão, este ministro já tinha ido para a terra dele... mas também não é só disto que o ministro se ocupa.
Então sr ministro? o que faz o senhor, para além das baboseiras que mostra? Está a preparar a sua reforma? ainda não a tem? não acredito...
Se não faz nenhum, o que anda aí a fazer?. Ponha-se a andar que a privada pagar-lhe á melhor, de certeza.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?